• Livreto - Comendo o planeta: Impactos ambientais da criação e consumo de animais

As relações diretas entre a criação de animais para consumo e várias das crises ambientais, como desmatamento, extinção de espécies, emissão de gases de efeito estufa, escassez hídrica, poluição do solo e das águas e a proliferação de zonas oceânicas mortas são alguns dos temas apresentados no caderno Comendo o Planeta: Impactos Ambientais da Criação e do Consumo de Animais.

Produzido pela Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), sob a coordenação de Cynthia Schuck, consultora científica e coordenadora do Dep. de Meio Ambiente da SVB, o material é respaldado por estudos científicos recentes e dados oficiais de órgãos reguladores e governamentais. Mais do que estimativas alarmistas, estes dados revelam a contribuição decisiva do setor pecuário nas alterações ambientais em escala global em curso, e convidam o leitor a refletir sobre seus padrões de consumo alimentar.

Alguns números ilustram o problema: 

-  Somos sete bilhões de seres humanos, mas todos os anos criamos e abatemos mais de setenta bilhões de animais terrestres e uma quantidade muito maior de animais aquáticos para nosso consumo.

-  Para alimentar animais criados em sistema intensivo, usa-se em média cerca de dez vezes mais calorias do que o disponível na carne – ou seja, há um desperdício de aproximadamente 90% de calorias.

-  Cerca de 30% do estoque pesqueiro marinho foram gravemente reduzidos ou se esgotaram, e 60% já atingiram a capacidade máxima de exploração. Apenas 10% são explorados em nível inferior ao limite.

-  A construção de fazendas aquáticas (para criação intensiva de peixes e outros organismos aquáticos) já eliminou metade dos manguezais da Terra e ao menos um terço dos mangues brasileiros. A taxa de destruição já é maior do que a de florestas tropicais.

-  O setor agropecuário é responsável por mais de 90% do consumo global de água, e um terço disso se destina à irrigação e ao crescimento de cultivos para produzir ração.

-  São necessários de dez a vinte mil litros de água para produzir apenas um quilo de carne bovina, e a maior parte dessa água é usada para produzir ração.

-  Em nações em desenvolvimento, treze zoonoses provenientes de porcos, galinhas e bois estão associadas a cerca de 2,4 bilhões de casos de infecção humana e mais de dois milhões de mortes todos os anos.

- Sem a necessidade de criar e alimentar animais, poderíamos aumentar em cerca de 50% a quantidade de calorias disponíveis para consumo produzidas em terras agrícolas já existentes, e obter o suficiente para alimentar mais 3,5 bilhões de pessoas no planeta.

Comendo o Planeta: Impactos Ambientais da Criação e do Consumo de Animais foi lançado durante o VegFest 2015, em Recife. Com copyright livre, pode ser reproduzido na íntegra ou em partes (desde que citada a fonte).

Caso deseje, baixe gratuitamente a versão digital: http://www.svb.org.br/publicacoes/livros


 

 

Escreva um comentário

Nota: O HTML não é traduzido!
    Ruim           Bom

Livreto - Comendo o planeta: Impactos ambientais da criação e consumo de animais

Produto indisponível no momento

Etiquetas: Livros